quinta-feira, junho 18, 2009

JORNALISMO

DIPLOMA UNIVERSITÁRIO

Estou pensando se uso meu diploma pra embrulhar pão ou se aproveito que está frio e faço logo uma fogueira... (ontem)

Ontem (18/06/09):
Ontem meu filho me disse que eu tinha que postar e falar alguma coisa a respeito. Só pensei na frase acima porque a primeira impressão da situação é estranha. Talvez um choque, sei lá?! E põe em questionamento tudo o que a gente sempre falou e pensou. Eu cheguei a ficar até "um pouco muito" contraditória. Pode ser dor de cotovelo? Mas depois que veio um amontoado de idéias me lembrei que sempre disse que sou formada em mas que não sou de fato. E que na vida percorremos por quaisquer caminhos que quisermos, independente do tipo de formação. A gente não precisa terminar onde começa... E meu filho aproveitou pra lembrar que eu sempre disse pra ele e pra Júlia (minha filha) que nunca fizessem faculdade de jornalismo nem de publicidade. E é verdade. Eu sempre falei pra eles que isso era quase uma obrigação pra vida de qualquer profissional: difundir seu conhecimento e vender seu peixe... 

Hoje (19/06/09), continuo:
... e que é importante estudar e estudar e estudar sempre, sem parar, a vida toda. Porque ao longo dos anos os métodos mudam, os conceitos, e cada qual, a prática e a teoria, a vida pessoal e a profissional... cada um de nós sofre (não o sofrer de dor mas também) mudanças. E tem que se manter vivo. E conhecimento, curiosidade, busca por atualização é alimento para o cérebro.

A minha dúvida é: enquanto o nosso pensamento se desvia pra essa discussão nacional, o que realmente relevante está por vir ou está ocorrendo que está coberto pelas nuvens que encobrem nosso raciocínio?


Encontrei alguns posts interessantes sobre o tema e coloco abaixo. Cada um tem uma idéia a respeito da questão - liberdade de expressão:
Lesmadesofá
Olhômetro
Esforçado
Trezentos
Brasília, eu vi

2 comentários:

dafne sampaio disse...

muito obrigado pelo link, inês.
e, olha, tô chutando, mas o que é realmente relevante é que o jornalismo (e tantas outras coisas) está mudando rapidamente. e pra melhor, acredito. mais plural, mais descentralizado. diploma é detalhe. o importante é a formação, é a vida, né não?
p.s. 1: fotógrafa que és vai gostar do site que tenho com amigos, o www.gafieiras.com.br (e do projeto www.pioneiras.com.br). é um site de entrevistas, mas cheio de retratos bacanas.

tonhademasi disse...

Inês querida,

Foram 23 anos trabalhando. Trabalhei, trabalhei... passei por todas emissoras de televisão do Brasil.
Tdo santo dia aprendia o quanto é fundamental para o jornalista ter um vasto e estruturado repertório cultural.Sem isso, os fatos passam pelo seu nariz e você só consegue fazer uma apreenão rasa.Estudar sempre, sempre.
Concordo com você: isso faz a diferença.
O ser curioso nasce assim, não conseguimos agregar curiosidad criativa ao ddiploma de jornalista.
Aliás, foram 23 anos sem diploma.

bj tonha