quarta-feira, fevereiro 09, 2011

RETRATO DE CHARLOTTE

Aranha de jardim
Verão. São Paulo, 2011
Foto: Inês Correa

Depois de muitos dias chuvosos no final de janeiro e início de fevereiro percebi que o jardim de casa virou uma pequena floresta. Tudo brotou e cresceu tanto que quando fui descer do carro quase atropelei a aranha que havia se instalado no "matagal". Olhei pra ela, ela olhou pra mim. Parecia que estava sorrindo. Ok, pensei, pode ficar. Consegui não ter o impulso de matá-la. Só fotografei. 

O sorriso dela estava desenhado em algum lugar do seu corpo. Não era um sorriso feito de lábios e dentes. Era uma imagem alegre, o suficiente para me seduzir totalmente.

No final do mesmo dia cheguei em casa e havia um carro estacionado na frente da minha garagem. Como tenho duas vagas abri o outro portão e estacionei o carro na outra vaga. 

Matei a aranha, pensei. Abri a porta do carro correndo. Vi que ela estava viva, teia presa no escapamento. Com um graveto joguei-a de volta no arbusto para que procurasse outro lugar pra morar. 

No dia seguinte, surpresa! Achou um lugar nobre logo na entrada da porta de casa. Outra teia havia feito. Imagino que tenha ficado tecendo toda a noite. Tive que me espremer pra poder chegar no carro sem ficar grudada na teia. Medo. Passei várias vezes com malas de viagem e procurei não dar importância, nem olhar direto porque fico arrepiada. 

Não teve jeito. Numa das vezes que atravessei o corredor estreito ela começou a se coçar e se mexer. Parecia querer chamar atenção. Fui contar para  meus filhos. Vieram vê-la e deram nome a ela: Charlotte. 


Charlotte
Verão. São Paulo, 2011
Foto: Inês Correa



Observação: 
O nome Charlotte foi inspirado no livro A Teia de Charlotte, de E. B. White.  Ilustrações de Garth Williams. Editora Martins Fontes, SP, 2004.

3 comentários:

Anônimo disse...

Estou impressionado de corpoemimagem.blogspot.com, eu preciso dizer. Realmente muitas vezes não posso encontrar um blog que é cada educativo e divertido, e deixe-me informá-lo, você tem que bater o prego na cabeça. Seu conceito é excelente, a dificuldade é uma coisa que as pessoas não estão falando suficiente inteligente sobre. Estou muito feliz que eu tropecei ao longo deste na minha busca por algo a respeito deste.

Inês Corrêa disse...

muito obrigada pelo estímulo. abraço.

Cida Passos disse...

tem uma aranha dessa no toldo da minha casa
vc sabe que espécie é?
é venenosa?